Buscar
  • Márcia Martins

UTI PEDIÁTRICA

Em inauguração de leitos, Max Russi cobra repasse de 3 mi para Hcan e reafirma compromisso da ALMT


O deputado explica que já fazem dois anos que o dinheiro saiu do caixa do Legislativo, por conta das economias que o órgão vem fazendo para investir na Saúde, entretanto, devido a burocracias, infelizmente não chegou até hoje ao hospital



O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB) participou, nesta segunda-feira (02/08), da cerimônia de inauguração da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTI) no Hospital de Câncer de Mato Grosso, com capacidade para 10 leitos infantis. Ao destacar a importância da obra, para os pacientes que na maioria das vezes têm no hospital a única oportunidade de apoio de atendimento, o parlamentar cobrou da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá agilidade na devolução dos R$ 3 milhões de reais, que o Poder Legislativo disponibilizou para a construção de mais unidades.


Max lembrou que já fazem, aproximadamente, dois anos que o dinheiro saiu do caixa da Assembleia, por conta das economias que o Parlamento vem fazendo para investir em diversas áreas, principalmente na Saúde.


Ele disse ainda que o aporte foi para secretaria estadual de saúde, porque devido à legislação a Casa não poderia destinar o recurso diretamente para o hospital. Por fim, o Executivo teria repassado o dinheiro para Cuiabá. Entretanto, devido as burocracias, até hoje ainda não foi repassado ao hospital.


O deputado também reforçou que foram realizados todos os trâmites legais para a destinação do repasse, porém não entende porque o município não repassa. “A burocracia muitas vezes atrapalha. A Assembleia vai cobrar para saber por que o município está tendo dificuldade para repassar o dinheiro. Determinamos que esse recurso seja investido no Hospital de Câncer. É uma pequena contribuição que a Assembleia através de todos os seus deputados, faz ao hospital para que ele possa continuar mais fortalecido, salvando vidas e fazendo o trabalho de excelência que realiza diariamente”, ponderou Russi.


Para o presidente do hospital, Laudemi Moreira Nogueira, a prefeitura dar uma solução para o imbróglio, pois o benefício é fundamental para o funcionamento do hospital. Moreira avalia que a liberação desse recurso trará mais segurança no planejamento e na execução das atividades da UTI. O total do capital, segundo o gestor, são 3 milhões repassados pela Assembleia Legislativa e mais dois milhões e 400 mil, retido no Fundo Municipal de Saúde, desde dezembro de 2019.


“Nós queremos esse recurso chegue ao hospital. Vamos continuar cobrando. Pedimos ao prefeito Emanoel Pinheiro que converse com a Secretaria Municipal de Saúde e libere essa verba. Na dúvida, que ele venha conhecer de perto as necessidades do hospital de Câncer”, cobrou o gestor do estabelecimento de saúde.


Por fim, Max Russi, parabenizou a gestão do hospital que, felizmente, mesmo sem o aporte da Assembleia conseguiu avançar e concluir a UTI. “Nós estamos inaugurando hoje, mas tem a manutenção, uma série de despesas, esperamos que o prefeito possa vencer essa etapa da burocracia e repassar o mais rápido possível esse dinheiro a unidade hospitalar. Já tiveram várias cobranças. A parte que dependia da Assembleia era a economia do recurso e o repasse e isso foi feito. Agora aguardamos o repasse”, concluiu.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo